Twitter

Central de ocupação

on 28 out, 2016 in Cidade

A Transite visitou o Estadual Central, primeira escola de BH a ser ocupada contra a “PEC do teto dos gastos” e a “Reforma do Ensino Médio”. Entre conversas sobre o futuro da educação no Brasil e sobre quem irá preparar a macarronada do almoço, acompanhamos o que esses jovens buscam com um punhado de barracas no saguão da escola.   Atualização às 11h35 de 30 de out:  houve tumulto na manhã da sexta-feira, dia 28 de outubro, durante discussão sobre o prosseguimento da ocupação no Estadual Central (que havia sido marcada por estudantes contrários ao movimento, como apontamos nesta reportagem). Segundo um ocupante, “algumas pessoas do MBL [Movimento Brasil Livre], e do Direita Minas, que não eram estudantes da escola […] e estudantes da escola também” compareceram ao protesto. A Polícia Militar esteve presente. Os organizadores do protesto no Facebook foram...

Seu bairro, seu voto

on 27 out, 2016 in Cidade

A poucos dias do desfecho das eleições municipais, a Transite “percorreu” as nove regionais de Belo Horizonte para saber como votaram os moradores da cidade no primeiro turno. Onde foi que João Leite, do PSDB, saiu na frente? E onde seu adversário, Alexandre Kalil, do PHS, conseguiu ultrapassá-lo? Nesta reportagem, a Transite passou por bairros com Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) melhores ou igual ao da Noruega – para constatar, logo ao lado, bairros com índices da Índia ou da Bolívia. E nessa cidade profundamente desigual os votos também mudaram conforme a região. Houve lugares que deram uma vantagem enorme para João Leite, outros que apostaram em Kalil. Há também bairros nos quais outros candidatos despontam, como o PMDB de Rodrigo Pacheco – apoiador de João Leite – e o tradicional Barreiro, de Marcelo Álvaro, do PR . Já na Pampulha, um reduto...

O baseado abre-alas da Marcha da Maconha

on 28 maio, 2016 in Cidade, Comportamento

Visitamos o “beckstage” da Marcha deste ano para acompanhar os preparativos de quem luta pela descriminalização da Cannabis sativa.   14 metros de comprimento, 4,5m de altura, bambus, cola e muitos jornais. O que poderia formar um carro alegórico em um desfile de Carnaval, nas mãos da “comissão de arte” da Marcha da Maconha de Belo Horizonte, transforma-se em um grande baseado abre-alas da manifestação, que acontece neste sábado, dia 28 de maio de 2016 (baseado, para quem está de fora da brisa, é o mesmo que um cigarro de maconha, também conhecido como beck). Este ano, o beck foi montado na Faculdade de Letras da UFMG no dia anterior à Marcha. O resquício do feriado de Corpus Christi esvaziou a faculdade na sexta-feira, e, às 15h30, quando cheguei, o grupo era praticamente o único a trabalhar ativamente nas redondezas. É tradicional: desde 2012 um baseado simbólico...

Quem faz a Feira

on 31 mar, 2016 in Cidade

A Feira de Artes, Artesanato e Produtores de Variedades de Belo Horizonte existe há 47 anos. O nome é longo, mas o apelido é curto e conhecido: Feira Hippie. Ela começou na Praça da Liberdade e, em 1991, desceu Bahia até a Avenida Afonso Pena. Hoje, ela ocupa quase 600 metros de uma das avenidas mais importantes da cidade todos os domingos, das 8h às 14h, bem ao lado do Parque Municipal Américo Renné Giannetti. No segundo domingo de março, enviamos oito repórteres para a feira mais famosa de BH. Cada um deles passou a manhã em uma seção e conta suas histórias: Vestuário Acessórios Culinária Na grade A rádio Calçados Enxoval Na rua   A Feira sem hippies   Em uma rápida ronda pelas barracas dá pra perceber que a maioria dos produtos é para o público feminino: saias, leggings, tops, lingerie, vestidos. Quase tudo em cores fortes, estampas em animal print, vestidos jeans e...

BH em trânsito

on 18 nov, 2015 in Cidade

Seguimos trânsitos e descaminhos, nós e pontos de encontro em Belo Horizonte. Neste vídeo, você transita com a gente.  

Instrumentos da Cidade

on 28 out, 2015 in Cidade

Podemos conhecer a cidade de muitas maneiras. Uma delas é pelo som. Fizemos gravações em distintos pontos de Belo Horizonte e cabe a você reconhecê-los.   A cidade tem música. Transitar por ela é ser plateia de concerto. E é também concertar. Buzinas, passos apressados, a caixa de som na porta do restaurante e os pássaros do parque. São inúmeros os instrumentos que se combinam para dar forma a paisagens sonoras sempre únicas, mas ainda reconhecíveis. A proposta aqui é experimentar Belo Horizonte através dos sons que ela ecoa. É simples. Com fones de ouvido, ouça a playlist abaixo e tente descobrir em que ponto da cidade cada gravação foi realizada. Ao final, confira as respostas.   Respostas: 1. Praça da Liberdade 2. Parque Guanabara 3. Praça Sete de Setembro 4. Estação Move Pampulha 5. Parque Municipal Américo Renné Giannetti 6. Praça Rio Branco / Terminal...