Twitter

O baseado abre-alas da Marcha da Maconha

on 28 maio, 2016 in Cidade, Comportamento

Visitamos o “beckstage” da Marcha deste ano para acompanhar os preparativos de quem luta pela descriminalização da Cannabis sativa.   14 metros de comprimento, 4,5m de altura, bambus, cola e muitos jornais. O que poderia formar um carro alegórico em um desfile de Carnaval, nas mãos da “comissão de arte” da Marcha da Maconha de Belo Horizonte, transforma-se em um grande baseado abre-alas da manifestação, que acontece neste sábado, dia 28 de maio de 2016 (baseado, para quem está de fora da brisa, é o mesmo que um cigarro de maconha, também conhecido como beck). Este ano, o beck foi montado na Faculdade de Letras da UFMG no dia anterior à Marcha. O resquício do feriado de Corpus Christi esvaziou a faculdade na sexta-feira, e, às 15h30, quando cheguei, o grupo era praticamente o único a trabalhar ativamente nas redondezas. É tradicional: desde 2012 um baseado simbólico...

Quem faz a Feira

on 31 mar, 2016 in Cidade

A Feira de Artes, Artesanato e Produtores de Variedades de Belo Horizonte existe há 47 anos. O nome é longo, mas o apelido é curto e conhecido: Feira Hippie. Ela começou na Praça da Liberdade e, em 1991, desceu Bahia até a Avenida Afonso Pena. Hoje, ela ocupa quase 600 metros de uma das avenidas mais importantes da cidade todos os domingos, das 8h às 14h, bem ao lado do Parque Municipal Américo Renné Giannetti. No segundo domingo de março, enviamos oito repórteres para a feira mais famosa de BH. Cada um deles passou a manhã em uma seção e conta suas histórias: Vestuário Acessórios Culinária Na grade A rádio Calçados Enxoval Na rua   A Feira sem hippies   Em uma rápida ronda pelas barracas dá pra perceber que a maioria dos produtos é para o público feminino: saias, leggings, tops, lingerie, vestidos. Quase tudo em cores fortes, estampas em animal print, vestidos jeans e...

BH em trânsito

on 18 nov, 2015 in Cidade

Seguimos trânsitos e descaminhos, nós e pontos de encontro em Belo Horizonte. Neste vídeo, você transita com a gente.  

Instrumentos da Cidade

on 28 out, 2015 in Cidade

Podemos conhecer a cidade de muitas maneiras. Uma delas é pelo som. Fizemos gravações em distintos pontos de Belo Horizonte e cabe a você reconhecê-los.   A cidade tem música. Transitar por ela é ser plateia de concerto. E é também concertar. Buzinas, passos apressados, a caixa de som na porta do restaurante e os pássaros do parque. São inúmeros os instrumentos que se combinam para dar forma a paisagens sonoras sempre únicas, mas ainda reconhecíveis. A proposta aqui é experimentar Belo Horizonte através dos sons que ela ecoa. É simples. Com fones de ouvido, ouça a playlist abaixo e tente descobrir em que ponto da cidade cada gravação foi realizada. Ao final, confira as respostas.   Respostas: 1. Praça da Liberdade 2. Parque Guanabara 3. Praça Sete de Setembro 4. Estação Move Pampulha 5. Parque Municipal Américo Renné Giannetti 6. Praça Rio Branco / Terminal...

Transite no ENEM 2015

on 25 out, 2015 in Campus, Cidade

Em depoimentos tão divertidos quanto delicados, participantes do Enem 2015 falam sobre suas impressões sobre a prova. Confira também os melhores looks do Enem na UFMG.   A Transite acompanhou o ENEM 2015 no Campus Pampulha da UFMG. No primeiro dia de aplicação do exame, pedimos a alguns participantes que dissessem o que acharam das frases escritas na capa de suas provas. Se preferir, assista pelo Facebook.   Reunimos também uma série de figurinos usados nos dois dias de prova. Os candidatos posaram e justificaram a escolha de suas roupas e acessórios. Clique na foto abaixo para conferir a galeria completa....

Esquinas da Virada

on 24 set, 2015 in Cidade

Gonzo Jornalismo na Virada Cultural de BH. Saiba como três dos nossos repórteres passaram a madrugada na noite mais animada da cidade.   A Transite enviou três aspirantes a gonzo jornalistas para passarem a noite na 3ª Virada Cultural de BH, entre sábado e domingo, 12 e 13 de setembro. O evento aconteceu em todos os cantos da cidade, mas nos concentramos onde estava a multidão, no Centro da capital. Nas ruas lotadas, encontramos muitas coisas e perdemos várias outras. Agora você confere o relato completo dessas doze horas de maratona cultural. *** Gabriel (17h40 – todos os meus horários são estimados): Começou bem. Consegui lugar no Move, o que é sempre uma vitória. Uma moça bonita sorria, de pé, a dois assentos dali. Gente de pé sorrindo assim no Move só pode estar chapada ou acabou de receber uma mensagem romântica no celular. Mas não. Era o pôr-do-sol lá fora, tão redondo...