Twitter

Bastidores de uma crise

on 18 set, 2015 in Cidade

Uma manhã acompanhando as doações aos refugiados sírios em BH   Jordana e Péricles aguardam ansiosos a volta para casa. Os dois se conheceram em Belo Horizonte, onde vivem há três meses. Ela está grávida e, até conseguirem retornar ao lar, varrem os pátios da Igreja Sagrado Coração de Jesus, no Santa Efigênia. “Acho que estou pagando uma promessa varrendo essas escadas”, brincou Péricles, crucifixo pendendo no peito. Já Felipe chegou a BH há quatro anos. Com uma úlcera no olho esquerdo, precisa de antibióticos para não perder a visão. Ele fez aniversário ontem, dia 17 de setembro, quando completou 40 anos. Com a chegada de mais doações destinadas aos refugiados sírios em Belo Horizonte, Jordana e Péricles conseguiram algumas roupas de bebê e dois pacotes de fraldas. Já Felipe conseguiu um par de tênis brancos. No entanto, nem Jordana Farias, nem Péricles Santos, nem Felipe são...

Comum, com dois, com três…

on 1 set, 2015 in Cidade

O Espaço Comum Luiz Estrela completou dois anos em 2015. Rememoramos as origens de sua formação e conhecemos um pouco mais sobre a história de alguns de seus primeiros ocupantes.   Rua Manaus, 348. Santa Efigênia. Belo Horizonte. É este o endereço do Espaço Comum Luiz Estrela. Durante oito meses foram realizadas reuniões secretas para articular sua ocupação. Hoje são desenvolvidas atividades abertas a toda a comunidade. E não é a primeira vez que a Transite vai até lá ouvir e observar sua constante elaboração. O Espaço Comum Luiz Estrela nasceu para ser reduto político-cultural e de resistência criativa na capital mineira. Artistas e ativistas regionais encontraram no antigo casarão um espaço para reunir ações formativas e culturais. Além disso, estavam preocupados em impedir a total deterioração do prédio histórico, que até então era propriedade do governo estadual. As atividades...

A casa da criatividade

on 28 ago, 2015 in Cidade, Comportamento

O crowdfunding é cada vez mais popular em Belo Horizonte. Conheça as origens deste modo de financiamento e descubra um dos espaços mais descolados da cidade erguido pelo financiamento coletivo: a benfeitoria.   “Coletivo” é uma palavra em voga. Na contramão dos acusadores da tecnologia como aparato individualizante, estes tempos de internet coincidem com grandes manifestações populares nas ruas e efervescência de movimentos e projetos culturais realizados em conjunto. Todo mundo tem aquele amigo altamente conectado de quem já ouviu pelo menos uma vez a palavra crowdfunding. Se for um amigo mais adepto ao “aportuguesamento”, então “financiamento coletivo”. O crowdfunding (crowd de multidão, funding de financiamento) é a união de várias pessoas, geralmente anônimas umas para as outras, que contribuem financeiramente para dar forma a algum projeto. É o famoso chapéu...

Bancas de quase tudo

on 17 jul, 2015 in Cidade

As bancas de revistas não vendem só o que anunciam no nome. Fotografamos várias delas por BH e flagramos  de perfumes a piercings entre seus produtos. Confira o que você encontra nas bancas da cidade além do jornal.   Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, hoje existem na cidade 625 bancas de revistas. Se o nome dos estabelecimentos remete aos impressos periódicos, um passeio por algumas bancas da capital revela rapidamente que esses já não são os únicos (ou principais) produtos de muitas delas. Observamos bancas de revistas de três regiões de BH.  A Avenida Afonso Pena, a região hospitalar do bairro Santa Efigênia e as imediações entre as Praças da Liberdade e da Savassi. O que encontramos foi uma variedade de produtos tão grande quanto a variedade de cores no interior dessas bancas de quase tudo. Por fora, elas são todas muito parecidas. A estrutura é estipulada pela Prefeitura...

A BH do Café Nice

on 9 jul, 2015 in Cidade

Conversamos com frequentadores antigos do Café Nice, um dos mais tradicionais e charmosos de BH. Ouvimos histórias delicadas sobre a vida de cada um deles na cidade. O resultado são  alguns desenhos e relatos  sobre uma BH que se transforma.   Passar pela Avenida Afonso Pena faz parte da rotina de milhares de belo-horizontinos. Centenas deles param no Café Nice, onde consomem uma quantidade de cafés e pães de queijo que os donos do lugar chamam de “segredo de Estado”. A cafeteria é um longo corredor ladeado por balcões e sem cadeiras à vista que não a do caixa, capitaneado pela família Caldeira. Porém, ali pouca gente reclama da falta de conforto. Pelo menos da falta de conforto do Café, porque, sobre Belo Horizonte, surgem muitas reclamações. O Café Nice funciona desde 1939, quando a jovem BH era ainda mais inacreditavelmente jovem, uma cidade com menos de meio século. Do número...

Já escolheu o presente para o seu amigo secreto?

on 2 dez, 2014 in Cidade

Com o Natal se aproximando, passeamos por sex shops da Galeria do Ouvidor para indicar os melhores e mais picantes presentes para o seu amigo secreto   Quem costuma passear pela Galeria do Ouvidor já deve ter reparado que, em meio às lojinhas de artesanato, o que mais chama a atenção são as sex shops. Se as lojas são muitas, o número de produtos disponíveis nelas é maior ainda. Conversamos com Geraldina Inácia Ferreira, uma das proprietárias do Ponto Sex, para descobrirmos um pouco mais sobre a história da loja e dos produtos que são vendidos por lá. Segundo Geraldina, o espaço existe desde 1998 e está na Galeria do Ouvidor desde 2000. Os 16 anos de existência mostram que esse é um ramo de comércio promissor. No entanto, Geraldina afirma que as sex shops ainda têm muito a crescer. “Agora que as sex shop estão sendo mais divulgadas, o tabu está passando por uma revisão, e os...